Finanças para Fotógrafos: A importância do planejamento financeiro na sua carreira de fotógrafo

Finanças para Fotógrafos: A importância do planejamento financeiro na sua carreira de fotógrafo

Quando pensei em escrever este artigo sobre Finanças para Fotógrafos, a primeira coisa que me veio em mente foi compartilhar o maior erro que cometi no início de minha carreira como fotógrafo de casamentos e famílias.

Chega até ser engraçado (para não dizer trágico). Deixe-me explicar.

No início, tudo é muito legal, divertido e estamos dispostos a trabalhar o que for preciso para fazer nosso negócio dar certo. Investimos todas nossas forças em melhorar a fotografia e ser o melhor fotógrafo do mundo, acreditamos assim ter mais trabalhos.

Até aí tudo estava indo maravilhosamente bem, pelo menos era minha sensação.

O problema quando comecei a estudar finanças para fotógrafos

O choque veio logo na primeira semana que comecei a estudar sobre gestão, percebi que algo estava errado.

Fiz o fechamento financeiro dos primeiros anos de minha carreira e para minha surpresa, vi que tinha faturado mais de 1milhão de reais em contratos e não tinha nada (considerável) investido ou reservado para meus projetos pessoais e de minha carreira como fotógrafo.

Que desanimo bateu.

O pior ainda foi quando conclui todos os relatórios e percebi que com uma boa gestão financeira de minha carreira na fotografia, poderia ter aproximadamente R$ 100.000,00 (cem mil reais) investidos para qualquer coisa.

Viajar, passear ou até mesmo iniciar o planejamento de minha vida futura.

Esta foi uma das primeiras vezes que senti culpa de verdade pela ignorância, pois até então tinha fotografado mais de 200 contratos e o dinheiro tinha ido literalmente pelo ralo, como a água da chuva.

Foi uma das piores sensações que tive até hoje.

Trabalhei por 4 anos e não tinha qualquer valor significativo investido.

Como seria diferente se tivesse levado em consideração a gestão.

Infelizmente é um erro muito comum entre os fotógrafos. Geralmente pensamos em atrair mais clientes, ganhar mais, e esquecemos como gerenciar melhor.

Gestão para Fotógrafos

Como evitar este mesmo erro e dar a volta por cima?

Ficou claro que muitas vezes o problema não é o quanto se vende na fotografia e sim a falta de conhecimento ou dedicação sobre gestão.

Manter equilíbrio entre o valor que você cobra pelo seu trabalho e como gerencia tudo isso é determinante para se viver bem de fotografia.

Você já sabe como aprendi né? Poderia ter sido de outra forma. Ainda bem que tudo passou e nunca é tarde para aprender.

Agora… 2 coisas quer você precisa saber hoje:

1) Muito bem o valor real de seu trabalho
2) Gerenciar todo o financeiro após as vendas

1) Como saber o quanto vale realmente seu clique

A primeira coisa que você precisa ter em mente é não comparar os valores de seus colegas com o seu.

Nunca será parâmetro para criar uma tabela de preços, cada fotógrafo tem custos e conhecimentos diversificados.

A regra número 1 para não trabalhar de graça é ter suas próprias referências para precificação.

Por exemplo, eu posso dizer que hoje não tenho como cobrar menos que R$ 6.000,00 (seis mil reais) para entregar as fotos digitais de um casamento.

Este valor pode ser baixo para colegas que possuem estúdio alugado na Oscar Freire, que é uma das ruas mais nobres aqui de SP.

Ao mesmo tempo, um colega fotógrafo que tem um custo mais baixo, pode ter mais lucro por trabalho cobrando 4.000,00 (quatro mil reais) para fotografar um casamento.

Por alguns anos achei que era bem sucedido, até os números me mostrarem ao contrário como falei no início do artigo.

Dê uma analisada no gráfico abaixo.

Definir Preços para Fotógrafos

Na figura acima fica claro que o valor final maior, não significa maior lucro.

A questão aqui é saber todos os detalhes de seus custos e elaborar uma tabela de preços equivalente a eles.

Depois, o lucro você quem escolhe, baseado em seus objetivos.

2) Melhor ainda se você soubesse o panorama financeiro anual de sua carreira na fotografia

Esta etapa e ainda mais invisível para todo fotógrafo e foi a que me surpreendeu quando fiz meu levantamento financeiro, lembra?

Até aqui você já sabe como fazer para calcular corretamente pelo seu trabalho de fotografia.

E agora…

2.1) O que fazer com valor recebido?
2.2) Será que o valor vendido até aqui é suficiente para cobrir minhas despesas do ano?
2.3) Quantos contratos ainda preciso fechar?
2.4) Quanto guardar de cada valor para realizar o evento?
2.5) Qual o valor que devo reservar para investir em novos equipamentos?
2.6) Quanto tiro como lucro?

Estas são apenas algumas das as perguntas mais comuns que venho recebendo ultimamente.

Calma mais uma vez…

… tudo isso é resolvido colocando no papel, quer dizer, numa planilha. No papel é praticamente impossível gerenciar tudo isso.

2.1) O que fazer com valor recebido dos contratos?

Cada valor tem uma finalidade. Você precisa separar o que são os custos fixos, variáveis e o lucro.

Tudo o que for custo, deixe reservado numa conta exclusiva para isso, que se não conhecer o básico sobre investimento, pode ser uma poupança mesmo.

2.2) Será que o valor vendido até aqui é suficiente para cobrir minhas despesas do ano?

Reúna numa mesma planilha todas as entrada e saídas previstas para o ano, de janeiro a dezembro. Lance os valores a receber de contratos já fechados nos meses equivalentes que saberá o saldo real.

Abaixo segue um exemplo de minha planilha. Mesmo em janeiro, consigo saber meu saldo atual atualizado do primeiro semestre. Na planilha completa, até dezembro.

Planejamento Financeiro para Fotógrafos

2.3) Quantos contratos ainda preciso fechar?

Para descobrir quantos contratos você precisa fechar ainda neste ano, crie uma planilha anual para seu negócio e divida o valor que falta pela média de valor cobrado pelo seu trabalho.

Se a média de preço for R$ 2.000.00 (dois mil reais) e ainda faltam R$ 10.000,00 para completar seu ano financeiro, você sabe que precisa fechar ainda 5 contratos até o final do ano.

2.4) Quanto guardar de cada valor para realizar o evento?

Pergunta de ouro.

De acordo com seus custos fixos e variáveis, você terá os valores totais de custos.

A maneira mais simples (não é a única forma) é dividir os custos pelas quantidades de parcelas que o cliente escolheu realizar o pagamento.

2.5) Qual o valor que devo reservar para investir em novos equipamentos?

Você precisa ter em sua tabela, um valor específico por trabalho que são relacionados aos custos dos equipamentos.

Recomendo calcular os custos de equipamentos por quantidade de eventos.

Como fotógrafo de casamento, divido a quantidade total média de cliques que minha câmera faz por 2.000, que são os cliques que faço por casamento.

2.6) Quanto tiro como lucro?

Outra pergunta de ouro. Se você tirar mais dinheiro de sua empresa do que o previsto, vai faltar em algum lugar.

Dá para fazer de algumas formas. Como eu faço nesta etapa?

Defino um salário mensal, de acordo com meu estilo de vida e incluo nos custos fixos da empresa. Ele entra como Pró Labore/Salário dos Sócios.

Legalmente, retiro uma desta parte como “funcionário” e outra como parte dos lucros da empresa.

Agora… ficou bem claro que o problema foi a falta de conhecimento.

Com estes mesmos passos que compartilhei aqui, foi que consegui dar um 360 em minha situação e hoje tenho certeza que apenas fotografar bem não é melhor caminho para viver bem de fotografia.

Imagine…

– Você eliminando os problemas de preços em seu trabalho?
– Conseguir planejar e executar todas as tarefas financeiras de sua vida e de sua carreira na fotografia?
– Visualizar o panorama de seu negócio e tomar decisões com menos chances de errar?
– Aumentar seu lucro, apenas ajustando os custos reais de seu negócio?

Agora…

Tudo isso sem perder tempo tentando criar ferramentas e horas em frente ao computador criando, editando e testando fórmulas.

Qual o próximo passo?

Saber exatamente como organizar tudo isso de forma rápida e prática.

Onde encaixar os custos, incluir seus lucros, guardar os valores referentes para execução dos contratos e tudo o que falamos aqui.

Acontece que sozinho isso pode demorar muito mais e quando perceber, ter perdido tempo e dinheiro.

Lembra de minha história, com 100.000,00? Bom, não adianta chorar o leite derramado.

Você pode organizar hoje mesmo utilizando 100% o mesmo método atual que eu e meus alunos utilizamos.

Quem já começou e sentiu a mudança

Gabriel Alves

Gabriel Alves Fotógrafo Aluno

To curtindo o curso. O primeiro feedback que posso te dar, é que eu procurei google a dentro, e não achei nada tão direto ao ponto, mesclando o mundo do fotógrafo como seu curso, ta aí um diferencial bacana.

Se um fotógrafo busca um curso que ajude na criação de orçamento e finanças pra planejar sua vida, você acertou em cheio.

Parabéns Will.

Jaqueline – Conto de Fotos

Alunos Jaqueline Conto de Fotos

Foi um investimento que valeu muito a pena…

Antes não tinha ideia do valor que colocava em meus produtos, serviços, albúm, etc… quanto que vou vender…

… ia levando a vida. Retirava quanto dava para retirar como lucro, nada tão planejado.

Aprendi que tenho de ter um planejamento no curto, médio e longo prazo… Planejamento é tudo.

Com certeza indico o curso, realmente vale a pena.

O valor de investimento é realmente baixo pelo retorno que se tem.

Ronny Viana Fotógrafo

Precisava muito de um auxílio nesta parte financeira.

O curso veio pra me ajudar muito neste planejamento. As planilhas e ferramentas são essenciais para agilizar minha organização e tomar decisões estratégicas.

Recomendo muito e o poderia valer até 2x mais que estaria barato pelo retorno.

Abraço,

– Willian Lima